Justificação pela Fé

Fé
Justificação pela Fé

Implicação da fé no processo espiritual da justificação

“É evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé” (Gálatas 3.11).

Sobre Justificação, em poucas palavras podemos dizer que, nos tornamos “justos” diante de Deus quando em arrependimento confessamos que Ele tem razão em nos condenar ao inferno e, por meio da fé, recebemos a justificação de divina.
Sem sombra de dúvidas, a justiça de Deus nos leva a reconhecer a culpa que carregamos, e num ato de humilhação nos faz olhar para Cristo como sendo nossa única esperança. Mais uma vez, tudo isso ocorre por meio da fé.

A justificação está intimamente ligada a outros dois processos espirituais: A Regeneração – uma vez que estamos “mortos para o pecado” tornamo-nos “vivos para Cristo de uma vez por todas” (Romanos 6.1-11); e a “Santificação” – Assim, nós somos chamados a morrer diariamente para o nosso velho homem e viver diariamente para “o dom gratuito de Deus”, que “é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6.12-23).
Obviamente, não há outra maneira de vivenciar estes processos senão através da fé. De acordo com o Segundo Testamento (NT), a fé é entendida como uma confiança completa em Jesus Cristo e em seus ensinamentos. O papel da fé no ato de justificação funciona como uma ação positiva de acredita, receber a Cristo e nele descansar.
No entanto, As Escrituras também demonstram que a fé dos que são justificados torna-se evidente nas boas obras (Tiago 2.26). Isso não transforma a ordenança de crer numa obra. Antes, crer para a justificação é como um convite para cessarmos nossas tentativas de autos- salvação e entrarmos no descanso daquilo que Deus realizou (Hebreus 4.1-9).
Em relação a justificação, o Segundo Testamento mostra que, por causa do pecado, ela não pode ser gerada a partir da Lei. Pois a única coisa que a Lei poderia fazer era colocar o mundo numa prisão à espera do Redentor (Gálatas 3.22-23) ou na tutela de um aio, aguardando a sua maturidade, a fim de receber a herança (v.24). E foi exatamente assim.

Conheça e se apaixone pelo curso teológico mais completo do Brasil! Clique >aqui< e saiba mais!

Em todo o Primeiro Testamento (AT) vemos que a única coisa que pôde manter a fé viva no coração das pessoas foi à promessa do Messias que viria. Na carta aos Hebreus (NT), os patriarcas de Israel são elogiados pela fé nesta promessa, apesar de não terem visto o seu cumprimento (Hebreus 11.1-12.2).
Posteriormente, quando a promessa se cumpriu e o Messias veio ao mundo, a fé convergiu totalmente para a sua pessoa e seus ensinamentos. Todo o livro dos Atos nos mostra Cristo sendo proclamado pelos apóstolos como a resposta para o arrependimento e fé.
Portanto, devemos compreender que a fé para justificação não está ligada a um otimismo ou uma visão positiva da vida. Esta fé também não tem relação com uma confiança geral no cuidado de Deus. A fé para a justificação é bastante específica – acreditar na misericórdia de Deus em nos perdoar através da obra Jesus Cristo. “O justo viverá pela fé”.

Tiago Rocha

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *