A missão do Amor

A relação existente entre dons do Espírito, Fruto do Espírito e Missões.

 

“Se não tiver Amor, nada serei. Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me valerá” (1 Coríntios 13.3 NVI)

 

É lindo dizer: “amar é um verbo”. É poético. Nós encontramos esta idéia em filmes, séries, livros, músicas. Apesar de ser uma afirmação verdadeira, no entanto, esta idéia não parece que é sempre aplicada na vida prática; especialmente se considerarmos que “verbo” implica ações e atitudes. Raro é quando a palavra “amar” ultrapassa a esfera da imaginação e se torna algo concreto no cotidiano.

O evangelho genuíno se faz quando levamos a palavra de Deus para lugares totalmente desfavorecidos. Isso se chama Capelania! Quer conhecer mais? Clique > aqui <

Falar de missão é falar de amor. Não há como desvincular as duas coisas. A Bíblia diz que o maior de todos os dons é o amor. De todas as virtudes, o amor é a única pela qual Deus permite ser definido; pois as Escrituras dizem: “Deus é Amor” (1 João 4.8). Ele é a primeira das virtudes do Espírito; e, além de ser a maior ela é a que abrange o exercício de todas as demais, inclusive a missão.

Quando escreveu sobre o amor em sua primeira carta aos coríntios, o apóstolo Paulo, que era um missionário, não estava discorrendo sobre o fruto do Espírito, mas sobre os dons do Espírito. Em poucas palavras, o apóstolo ensina que sem o amor nenhum dom (capacitação vinda de Deus para o desempenho de alguma tarefa ou missão) tem qualquer utilidade.

Vemos na Bíblia que Deus já concedeu dons até mesmo para pessoas ímpias como Saul, Balaão, Judas, dentre outros. Apesar de estarem capacitados para uma determinada missão, neles não havia a presença do verdadeiro amor. O que nos leva à compreensão de que os dons podem ou não operar a partir de um coração realmente transformado pela graça. Todavia, o desenvolvimento do fruto do Espírito só pode ser gerado nos filhos de Deus.

Com isso, quero dizer que aquelas pessoas que não amam verdadeiramente podem até ser muito capacitadas, ter dons que as levem ao envolvimento com projetos missionários e tudo mais. No entanto, na realidade isso não tem valor algum diante de Deus. Missão é amar, é se entregar pelo próximo que Deus se entregou por cada um de nós.

Mas, o genuíno amor de Deus só pode ser exercitado por alguém que tenha sido verdadeiramente transformado por esse mesmo amor. Somente aquele que foi amado pode amar na mesma medida: “nisto conhecemos o amor que Cristo deu a sua vida por nós e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (1João 3.16). E mais à frente: “amados se Deus de tal maneira nos amou devemos nos amar também os aos outros” (1 João 4.11).

Somente o amor que vem de Deus é capaz de nos tornar doadores de amor também. Missionários, assim como Deus, são doadores de um amor gratuito, sacrificial, incondicional. Missionários são aqueles que amam daquele mesmo modo com que Jesus amou. Qualquer manifestação de amor que seja diferente desta pode ser compreendida inútil e sem valor para Deus.

 

Tiago Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *